big data na saúde big data na saúde

Qual a importância e os impactos do Big Data na área da saúde?

4 minutos para ler

Em todo o mundo, a análise de dados é um procedimento cada vez mais crescente. No entanto, no Brasil, o uso do Big Data na saúde ainda não é algo tão comum e esse setor pode se aproveitar de grandes vantagens que essa tecnologia tem a oferecer, quando combinada com as ferramentas para a análise de dados, como o Business Intelligence e Analytics, por exemplo.

Com todo este volume de dados e uma tendência de crescimento em quantidade e complexidade, adotar tecnologias específicas certamente tornará o processo de decisão estratégica mais fácil. O impacto para a gestão, que poderá contar com indicadores essenciais sobre os atendimentos, exames, procedimentos cirúrgicos, bem como financeiros, contábeis e de consumo, será altamente positivo, o que comprova que o uso do Big Data na saúde é algo realmente promissor.

E aí, quer saber mais sobre o assunto? Continue a leitura e descubra!

O que é o Big Data?

O Big Data refere-se ao grande volume de dados que pode ser interpretado por ferramentas específicas para análise, com o intuito de extrair informações valiosas. Na área da saúde, esse gerenciamento pode englobar desde procedimentos de atendimento ao paciente até processos administrativos.

O hospital ou a clínica podem se valer de dados próprios, coletados a partir de seus sistemas de informação convencionais, e associá-los a fontes externas, como aplicativos e dispositivos que monitoram as atividades pessoais, exames e laudos online, prontuários eletrônicos, arquivos digitais, dentre outros meios, para construir uma base sólida que dará a origem às análises.

Como funciona o Big Data na saúde?

Com o uso dessa tecnologia, as decisões tomadas em relação aos pacientes e aos processos administrativos deixam de ser baseadas unicamente em intuições.

Agora, é possível fazer isso com o embasamento obtido a partir da análise e do cruzamento de dados que fornecem informações para compreender o desenvolvimento de doenças, melhorar a assistência ao enfermo e tomar medidas de contenção no avanço de epidemias, por exemplo. Ou seja, as ferramentas são essenciais para a tomada de decisões, que afetarão os atendimentos e os processos administrativos.

As ferramentas de análise reúnem e integram os dados do Big Data, tornando-os disponíveis em qualquer local de atendimento. Desse modo, o médico é informado rapidamente sobre o diagnóstico, os resultados prévios, os tratamentos recomendados, além das informações básicas do paciente.

Quais os benefícios do Big Data na saúde?

Como você pôde perceber, o uso do Big Data surge para otimizar os resultados de uma corporação e, na área da saúde, isso não poderia ser diferente. Ao fazer uso dessas ferramentas, os profissionais tomam decisões baseadas em evidências, o que contribui para a assertividade de um diagnóstico, refletindo na diminuição dos custos hospitalares, uma vez que a escolha do tratamento será precisa.

Outras vantagens estão relacionadas ao aumento da previsibilidade com relação a saúde dos pacientes, à antecipação de eventos e ao compartilhamento de conhecimento, para ampliar os estudos e as análises de casos. Além disso, será possível obter informações para a melhoria dos processos das instituições de saúde.

Contar com ferramentas inteligentes como essas é a melhor maneira para evoluir, reduzindo os custos operacionais e, ao mesmo tempo, melhorando o atendimento aos pacientes.

E aí, gostou do nosso post? Aproveite para compartilhá-lo nas redes sociais e ajudar seu ciclo de amigos e terem conhecimento sobre o assunto!

Posts relacionados

Deixe uma resposta