crise do coronavírus crise do coronavírus

Crise do coronavírus: 5 indicadores para sua empresa avaliar

4 minutos para ler

A crise do coronavírus trouxe mudanças significativas para a nossa sociedade. Muitas empresas sentiram o baque com a queda nas vendas, já que várias pessoas perderam seus empregos ou tiveram seus salários reduzidos. Além disso, alguns negócios foram impedidos de atuar para conter o alastramento da doença.

Para visualizar informações precisas sobre as operações e o estado atual da sua empresa, é possível aplicar alguns indicadores bem interessantes para mensurar os reflexos financeiros dentro do negócio. O melhor de tudo é que ainda é possível combina-los a ferramentas de análise de dados. Sem mais demora, vamos conhecê-los!

1. Margem EBITDA

A Margem EBITDA, também conhecida como LAJIR (Lucro Antes de Juros e Imposto de Renda), é a sigla para Earning Before Interests, Taxes, Depreciation and Amortization. Ela representa a quantidade de geração operacional em caixa de uma empresa — o quanto ela gera de lucro (ou prejuízo) apenas com suas atividades operacionais.

Assim, as empresas conseguem obter informações sobre o valor e o impacto das vendas diretamente no caixa — não à toa, ela é utilizada em publicações como sinônimo para “geração de caixa“. Para chegar ao valor preciso, é possível utilizar uma fórmula simples:

EBITDA = lucro operacional líquido + depreciação + amortização

2. Taxa de liquidez

Quando uma empresa consegue honrar as suas dívidas e compromissos, dizemos que ela tem liquidez. Para isso, ela leva em consideração os ativos (o montante a ser recebido) e os passivos (o que deve ser pago) de curto prazo. A fórmula é:

Liquidez = ativos de curto prazo / passivos de curto prazo

Quando o resultado é igual ou superior a 1, é um bom sinal, já que há um equilíbrio. Contudo, é preciso ter cuidado quando o resultado é inferior a 1, uma vez que é o indicativo de pouca liquidez — o que dificulta o pagamento de dívidas.

3. Crescimento anual

Para monitorar o crescimento anual do negócio (e comparar o resultado a outros períodos, principalmente antes da pandemia), é necessário acompanhar as receitas. Desse modo, a fórmula é a seguinte:

Crescimento (em %) = (receita total do ano atual / receita total do ano anterior) / receita total do ano anterior x 100

Para conseguir comparações mais precisas para mensurar o impacto da pandemia dos seus negócios, tente diferentes combinações, excluindo o ano atual. Além disso, é uma boa ideia levar em conta o percentual do crescimento do seu ramo de atuação.

4. Indicador de ruptura

Este indicador mensura a indisponibilidade de produtos em uma loja. Assim, o índice aponta a porcentagem de produtos em falta em relação ao número total de mercadorias.

Um exemplo: se um varejista vende 20 modelos diferentes de teclado de computador e descobre que um deles não consta atualmente no estoque. O cálculo do índice de ruptura segue a seguinte equação:

(Itens que estão em falta/total de produtos da loja) x 100

No nosso exemplo, teríamos: (1/20) x 100. O resultado seria de 5%, que indica a ruptura dentro do estoque. Dessa forma, quanto maior for o índice, mais elevada será a indisponibilidade de determinados itens — o que afastaria um número maior de clientes, comprometendo o faturamento.

5. Lucratividade

Por fim, o indicador de lucratividade sinaliza o valor final obtido das suas atividades. Ele é encontrado após o cálculo que leva em conta os custos e despesas. A fórmula é:

Lucratividade (em %) = lucro líquido / receita total x 100

Assim, será mais fácil entender se a lucratividade corresponde às metas estabelecidas — e comparar os resultados com o que a sua empresa esperava antes do coronavírus.

Para analisar o resultado dos indicadores é necessário interpretar e executar algumas fórmulas. Contudo, seria bem mais fácil se pudéssemos contar com ferramentas tecnológicas que extraíssem conhecimento relevante desses dados, não é mesmo?

Por isso, o investimento em ferramentas de Business Intelligence e Analytics poderá agregar poder de decisão aos gestores, facilitando a análise de dados ao transformar elementos brutos em informação estratégica.

Afinal de contas, toda empresa precisará de informações sólidas para sobreviver à crise do coronavírus e seus danos financeiros.

Como pudemos ver no artigo, diversos indicadores podem ser combinados a ferramentas tecnológicas para gerar conhecimento e fomentar estratégias de venda mais precisas.

Gostou do post e quer apresentá-lo a mais pessoas? Então, compartilhe o artigo em suas redes sociais e chame seus amigos para debater!

Posts relacionados

Deixe uma resposta